Testamos o IPFS: hospedando um site


Posted by: Jeferson Silva
ID: 0000-0001-8117-6136
O IPFS (Sistema de Arquivo Interplanetário) permite que as pessoas tenham um site totalmente seguro e distribuído, hospedado na rede e sem a necessidade de um servidor central.

Basicamente o sistema IPFS funciona criptografando o arquivo e fragmentando ele em vários pedaços, depois cada pedacinho é enviado para computadores conectados nesta rede. Quando alguém digita o endereço do arquivo, chamado de Hash, os pedaços são agrupados e apresentados na tela do dispositivo.

Existe uma série de vantagens nesse sistema, entre elas está a segurança e a velocidade de acesso. A descentralização também é algo interessante, já que o seu site não vai depender de uma empresa para ser publicado.

Atualmente usamos a rede http:// para distribuição de sites, a rede IPFS opera em outro formato ipfs:// e precisa de um navegador que consiga se comunicar com esta rede. O navegador Brave foi um dos primeiros a implantar este sistema de comunicação em seu navegador.

No entanto é possível abrir o site ipfs:// em um formato http:// usando serviços intermediários, que traduzem o IPFS para o HTTP. Usando diretamente a rede ipfs:// a velocidade é boa, já o processo de conversão para o http:// depende da qualidade do serviço oferecido pelas empresas.

A rede IPFS já conta com vários dispositivos conectados que atuam como um grande servidor descentralizado. É usada principalmente para nuvem de arquivos. A hospedagem de sites ainda tem um caminho de evolução pela frente.

No momento, em 2022, só é possível hospedar sites estáticos, em html simples.

Se você é um entusiasta das tecnologias da informação e gosta de interagir com elas, vai conseguir se divertir criando e publicando sua página web na rede IPFS.

Eu e alguns colegas testamos a rede IPFS e tem sido interessante acompanhar a evolução desta tecnologia. Para postar um site de teste, experimentamos três métodos diferentes, usamos um raspiberry pi 4 com linux em linha de comando, depois experimentamos no windows o software de compartilhamento e por último testamos o serviço online e gratuito da empresa Pinata.

O objetivo foi testar o grau de dificuldade de cada método. Ainda que o resultado final fosse o mesmo, publicar uma página na rede IPFS.

Para quem é iniciante o caminho mais fácil foi da empresa Pinata, já que basta subir o arquivo e eles disponibilizam na rede. O uso do software ipfs-desktop foi relativamente fácil, tanto no linux como windows, mas foi necessário abrir portas no roteador e configurar alguns aspectos de rede. Já o método por linha de comando diretamente aplicado no raspiberry pi, demanda um conhecimento técnico maior sobre redes, Linux e comandos via terminal.

Do ponto de vista técnico, a rede IPFS oferece uma ótima solução tecnológica para distribuição de arquivos. É eficiente, acessível, rápida e segura.

No entanto, quem publica um site para ser acessado por pessoas leigas em redes, vai enfrentar alguns desafios que podem ser superados com o uso da criatividade técnica, permitindo que qualquer pessoa acesse seu conteúdo publicado em html.

Deixamos online uma página para o leitor avaliar o desempenho da rede IPFS traduzida para o HTTP. No entanto é importante lembrar que, como ocorre uma conversão de protocolo, pode ser lento a abertura do site na primeira vez. Caso ocorra erro 504, basta insistir um pouco.

Acesse em: http://ipfs.jeferson.silva.nom.br e veja uma página html hospedada na rede IPFS e traduzida para o HTTP. Caso tenha algum problema com o link acima, tente clicando aqui, bem como, este outro link aqui.

Acesse nossa publicação anterior sobre este tema em: IPFS: Compartilhe seus arquivos

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira motocicleta

Ingressando na Keybase

Simulador de impacto por asteroide

A Morte da Conversa: uma nova forma de relacionamento?

Gravidade como fonte de energia

Remédio para apagar sua memória

Passeando pelos museus virtuais

Descoberta molécula responsável pela memória humana

Tinta condutiva em sensores sem fio