Orquídea macaco e a pareidolia


Posted by: Jeferson Silva
ID: 0000-0001-8117-6136
A Orquídea Dracula Símia, também chamada de orquídea macaco, realmente parece imitar a cara de um macaco. Esta é uma daquelas coisas curiosas encontradas na natureza, onde é difícil não ficar impressionado com a beleza desta orquídea. Como ela é encontrada na natureza em regiões de grande altitude, entre 1000 e 2000 metros, não é fácil conseguir uma. A planta foi descoberta em 1978 nas florestas tropicais no Equador e Peru pelo botânico e naturalista Hugo Gunkel Luer.

A orquídea macaco é um daqueles fenômenos onde atribuímos significado aos eventos que nos cercam, chamado de pareidolia. Além de identificar sons e imagens, naturalmente atribuímos significado a qualquer evento/estímulo que presenciamos. Isso nos faz enxergar ou escutar coisas improváveis.

Na computação quando desejamos que um aplicativo identifique algo, usamos em alguns casos, métodos de comparação por características. Na identificação biométrica, por exemplo, o usuário cadastra características de sua digital em um banco de dados. Posteriormente, quando posicionar seu dedo sobre o display, o programa identifica a quem pertence aquela digital.

Em alguns casos nosso cérebro faz algo semelhante, ao observar certos eventos, ele acessa nossa memória e faz comparações buscando sinais do que está vendo para identificar o que está ocorrendo. Dependendo da intensidade que cada evento exerce em nós, ocorre a certeza sobre o que se está observando.

A técnica é simples, basicamente nosso cérebro compara uma certa quantidade de sinais que possuem um objeto e gera uma identificação significativa. Conforme nossas crenças e vivências. Por exemplo, todo dia lidamos com vários rostos. Esses são formados por um conjunto simétrico de quatro sinais, dois olhos, um nariz e a boca. Se você enxergar um rosto nas imagens abaixo. Acredite, é devido ao fato do seu cérebro pegar certas características básicas que possui um rosto e atribuir este significado. Mesmo que você saiba que estes objetos não têm realmente um rosto, vai perceber a semelhança.

Esse método de atribuição de significado por semelhança, estimula lembranças na memória dependendo do contexto. Fazendo com que alguns rabiscos possam ser percebidos como representação de alguém que conhecemos.

Outro exemplo de pareidolia ocorre quando, após terminar de assistir um filme de terror, percebemos "coisas estranhas” no ambiente, principalmente se a luz estiver apagada. Um bom exemplo são imagens largamente conhecidas devido sua popularidade. Como o rosto de cristo, anjos, monstros e assim por diante. Você enxerga alguma imagem religiosa nas fotos abaixo? Se enxergar, provavelmente é a Pareidolia em funcionamento, uma técnica do cérebro para reconhecer algo comparando informações guardadas em sua memória.

Resumindo: Pareidolia é um fenômeno psicológico comum em todos os seres humanos, conhecido por fazer as pessoas reconhecerem imagens de rostos humanos ou animais em objetos, sombras, formações de luzes e em qualquer outro estímulo visual aleatório.

Uma forma interessante de abordar o fenômeno, consiste na pareidolia aplicada à pintura. Acesse em um dos servidores abaixo um artigo acadêmico que separamos para você.

[IPFS] - [GDrive] - [Keybase] - [UDESC]



Acompanhe novos conteúdos.
Acesse Newsletter aqui.

Postagens mais visitadas deste blog

Ganhe dinheiro com artesanato: curso gratuito

A primeira motocicleta

Simulador de impacto por asteroide

Remédio para apagar sua memória

Passeando pelos museus virtuais

Descoberta molécula responsável pela memória humana

Lógica e português estruturado

Nossa Newsletter mudou!

Molécula capaz de neutralizar células do câncer

Testamos o IPFS: hospedando um site