Livros digitais: Uma agradável experiência


Posted by: Jeferson Silva
ID: 0000-0001-8117-6136
Os livros digitais também chamados de e-books já superaram nos EUA em número de vendas os livros tradicionais. No Brasil o crescimento é lento, somos um país que possui um baixo índice de hábito de leitura enquanto sociedade. Desde o surgimento dos e-books, alguns problemas foram detectados e grandes empresas vêm se unindo na tentativa de transformar os leitores de e-books em produtos atrativos.

O maior problema lá no início desta tecnologia, consistiu na portabilidade dos e-books. Cada empresa possuía seu próprio leitor de e-book que oferecia apenas um tipo de extensão de arquivo, ou seja, um tipo de e-book. Isso gerou uma grande quantidade de tipos de e-books, entre eles: PDF, ODT, LIT, DOC, OPF, PDB, VBO, TXT, RB, etc. A variedade é muito grande, o que dificultava a vida dos leitores.

A solução foi propor uma extensão padrão para todos os equipamentos leitores, evitando desta forma a incompatibilidade de equipamentos e demais confusões devido a grande variedade de tipos de e-books.

Numa tentativa de unificação surgiu a extensão para e-book denominada de EPUB que foi criada pelo International Digital Publishing Forum (IDPF). No entanto, embora este formato tenha se popularizado, a ideia de unificação acabou sendo abandonada, principalmente por motivos comerciais.

Existem duas categorias de e-books, uma sem proteção e outra com restrição de leitura. Os livros com restrição de leitura, ou seja, protegidos para comercialização. Só podem ser lidos através de software específico.

No Brasil as livrarias de e-books adotaram em grande maioria o aplicativo desenvolvido pela Adobe, para proteger os e-books. No caso dos e-books de livre acesso, estes podem ser lidos em qualquer aplicativo que aceite a extensão que o e-book foi formatado. Já os e-books com direito autoral e comercial precisam ser lidos em dispositivos com senha e login que identificam o comprador, proprietário do livro digital.

Uma vantagem que é considerada importante nos livros digitais é a fácil e imediata distribuição dos e-books e grande portabilidade, uma vez que são simples e não contemplam complexas animações, por conta disso, a exigência de hardware e de plataforma é mínima, além do fácil manuseio e produção.

Isso não agradou algumas pessoas que gostam de animações e interatividade multimídia. Mas não podemos esquecer que a proposta dos e-books é simular um livro, como letras em papel. Dito de outra forma, o e-reader é direcionado para leitores habituais.

Para quem tem o hábito da leitura, um e-reader faz toda a diferença. Eu tive a oportunidade de usar as marcas Kobo, Leve e Kindle. Dessas, aquela que mais me agradou e usei por alguns anos, foi o e-reader da marca Leve.

Minha preferência por esse e-reader foi pelo fato dele trabalhar bem com PDFs na época, O PDF é o formato dos artigos acadêmicos e outros materiais de estudo. Posteriormente passei a usar um Kindle, depois que eles melhoraram a conversão do PDF para este aparelho.

Passados alguns anos do surgimento do primeiro aparelho e-reader, o preço atualmente é acessível e a experiência de leitura fica bem agradável é muito melhor que ler no celular ou computador e tem algumas vantagens em relação aos livros em papel.

Uma vantagem que me agrada bastante é o fato de poder carregar vários livros, artigos e outros materiais de estudo em um pequeno aparelho, sem peso ou necessidade de grandes espaços. Se você já precisou retirar vários livros na biblioteca da faculdade e andar com a mochila bem pesada para todo o lado, entende o incômodo que isso gera.

Como o e-book é digital, fazer consultas e localizar uma das partes do texto no e-reader é bem fácil. Basta usar o campo de busca. A tecnologia que simula papel, também é um diferencial, realmente cansa menos a visão.

Nos últimos 4 anos acabei usando o Kindle como e-reader principal e a biblioteca online da Amazon permite que eu baixe emprestado os livros digitais disponíveis nesta modalidade e depois devolva como se fosse uma biblioteca acadêmica tradicional, com a diferença de não ocupar espaço ou ser pesado para carregar.

Atualmente a maioria dos livros já saem da editora no formato papel e digital.

Minha experiência atual é com esse Kindle aqui! Estou satisfeito com ele.

A característica que mais gosto é a tela e-ink dos leitores digitais, sem dúvida é o principal ponto a se considerar a favor do Kindle.

Sempre fico com a visão cansada após um certo tempo de leitura ao usar o Tablet ou celular. Algo que no Kindle não ocorre.

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira motocicleta

Ingressando na Keybase

Testamos o IPFS: hospedando um site

Gravidade como fonte de energia

Ganhe dinheiro com artesanato: curso gratuito

A Morte da Conversa: uma nova forma de relacionamento?

Passeando pelos museus virtuais

Descoberta molécula responsável pela memória humana

Remédio para apagar sua memória

Simulador de impacto por asteroide