Seja bem-vindo(a)!
Este é um blog sobre Tecnologia, Filosofia, Educação e Curiosidades.

Bitcoin: roubos e pirâmides

Jeferson Silva | post in Telegra.ph

Criminosos estão por toda parte e com as criptomoedas não é diferente. No Brasil muitas pessoas já foram enganadas ao se envolver com golpistas que prometiam dinheiro fácil.

Esse tipo de promessa produziu na internet uma série de ideias negativas sobre criptomoedas, como a possibilidade de enriquecimento rápido, ou ainda, a facilidade de sonegar impostos ou lavar dinheiro anonimamente.

É importante observar que enriquecimento rápido é uma fantasia contada na intenção de enganar as pessoas. Praticar sonegação de impostos e lavagem de dinheiro, são atividades que as criptomoedas não conseguem esconder assim tão fácil, uma vez que todo o movimento é registrado publicamente na maioria das crIptomoedas.

Alguns possuem interesse em criminalizar esse tipo de inovação tecnológica e deixam escapar o fato de os criminosos serem na verdade, pessoas que vão roubar em qualquer oportunidade. As criptomoedas não possuem vida própria. São o que fazem delas. Mas existem pessoas que supervalorizam as criptos, gerando uma falsa ideia sobre o tema.

A principal criptomoeda é o Bitcoin e tem como finalidade servir de reserva de valor a longo prazo. No entanto, algumas pessoas também usam como meio de pagamento para comprar bens e serviços, como é o caso do país El Salvador.

Em realidade, existem bons motivos para você começar a usar bitcoin ainda hoje, o principal deles é a privacidade e a reserva de valor, mas existem outros, como se manter atualizado nas tecnologias de criptonegociações uma vez que esta é uma tendência mundial, gerando empregos e oportunidades para quem entende da tecnologia envolvida.

Uma boa parcela dos empregos no futuro vão envolver algum contato com criptomoedas, criptocontratos, entre outras atividades digitais.

O maior problema para quem vai iniciar são os golpes, estes variam entre pirâmides, roubos por invasão, golpes nas corretoras e erros de segurança dos próprios usuários.

Um golpe criativo ocorreu aproximadamente em julho de 2020, uns meses antes hackers invadiram o banco de dados de uma fabricante de cofres eletrônicos individuais que servem para guardar e proteger criptomoedas.

De posse dos e-mails e endereços de pessoas que adquiriram aquele cofre (popularmente chamado de Hardware Wallet), os criminosos enviaram por correio aos usuários um novo cofre como se fosse brinde da empresa. Quem usou o falso cofre e colocou nele suas moedas digitais perdeu esses valores.

Mesmo os melhores cofres (hardware wallet) podem ser roubados quando o usuário fornece, ainda que enganado, os dados de acesso.

Para iniciar de forma segura você precisa ter em mente que o melhor caminho é estudar bem o assunto e usar dinheiro em pequenos valores, uma vez que a ocorrência de perda ou prejuízo é proporcional ao seu conhecimento sobre o assunto.

Só faça transações em moedas no universo digital com valores maiores depois de realmente entender como tudo funciona, em especial, os riscos implicados.

As criptomoedas demandam algum conhecimento técnico para uso com segurança, antes de dominar o assunto é aconselhável experimentar o ecossistema das moedas digitais para poder aprender sobre, por isso, é esperado erros próprio de quem se inicia em alguma nova atividade.

Tem coisas que para aprendermos só é possível praticando. Esse parece ser o caso das criptomoedas. Então não se esqueça. O risco de perda é proporcional ao conhecimento que você possui sobre este assunto, bem como, ao total de horas praticadas usando criptomoedas.

Não acredite em promessas milagrosas e sempre inicie manuseando pequenos valores. Também é aconselhável para quem está iniciando dar preferência para empresas já consolidadas, com muitos usuários usando seu sistema ou produto. Projetos ou propostas recém lançadas, com poucos usuário, possuem maior probabilidade de falha que pode lhe trazer prejuízos.