O surgimento do computador

Autor: Jeferson Silva

A primeira ferramenta desenvolvida para processar informação que a história tem noticias data de 3.000 anos antes do nascimento de cristo, conhecida como ÁBACO, esta ferramenta é o marco do inicio tecnológico. O Ábaco é uma calculadora manual composta por um conjunto de varetas que permitem o deslizar de peças no formato de argolas onde dependendo do posicionamento de cada argola é possível efetuar cálculos. Com um pouco de prática o usuário desta ferramenta consegue efetuar calculo de uma forma muito rápida.

Outro marco importante para o desenvolvimento tecnológico ocorreu com a descoberta da eletricidade. O primeiro a observar o fenômeno elétrico foi o filósofo Tales de Mileto que ao esfregar um mineral conhecido como âmbar observou que ele atraia pequenos pedaços de papel e madeira, isso ocorreu aproximadamente uns 500 anos antes de Cristo. Este fenômeno inexplicável para a época motivou diversas pessoas ao estudo e a prática de experiências com o Âmbar.

O primeiro resultado prático do estudo relacionado ao âmbar resultou na descoberta do processo magnético e como conseqüência surgiu a criação da bússola. Com o auxilio da bússola o homem pode atravessar oceanos usando uma forma de direcionamento preciso. A bússola surgiu como ferramenta de navegação na época de 1.400 depois de cristo.

Em 1570 o inglês William Gilbert intrigado com os imãs se aprofundou no estudo do âmbar e denominou que todas as substancias que ao serem esfregadas atraiam outras para si continham uma propriedade elétrica, chamando atenção de outros pesquisadores. O nome eletricidade surge pela primeira vez através do inglês Walter Charleton por volta do ano de 1650.

Este mineral (âmbar) também era conhecido com o nome de Elektron pelos gregos e sua pronuncia em latim é Electrum daí a motivação dos estudiosos de usarem o termo eletricidade como referencia ao fenômeno.

Enquanto os ingleses se destacavam com o estudo do âmbar na época de 1590 o escocês John Napier criava os chamados bastões de Napier. Esta ferramenta é um conjunto e nove bastões, um para cada dígito, que transforma a multiplicação de dois números uma soma das tabuadas de cada dígito. Como um objetivo semelhante ao Ábaco o bastão de Napier tinha como principal função processar dados matemáticos.

Observe o leitor que a utilidade da eletricidade em 1650 ainda era desconhecida. A única maneira para projetar equipamentos de apoio ao processamento de dados era manualmente ou através da mecânica.

Anterior ao ano de 1650 foi inventado a máquina de multiplicar por Wilhelm Schickard em 1623. Esta máquina de funcionamento mecânico conseguia multiplicar valores através de rodas dentadas. Seguindo esta mesma linha de raciocínio, mas com um aperfeiçoamento bem importante em 1642 o francês Blaise Pascal, desenvolveu a Pascaline. Inovadora no conceito a Pascaline armazenava o resultado através de engrenagens e é considerada a primeira calculadora mecânica do mundo.

Em 1650 enquanto a eletricidade ainda era algo incerto, as maquinas mecânicas continuavam a serem trabalhadas, Ainda em 1650 surge à regra de cálculos que possui uma régua deslizante sobre uma base fixa, com escalas logarítmicas para a realização de diversas operações.

Em 1666 o Inglês Samuel Morland cria uma máquina mecânica que realizava operações de soma e subtração. Dando continuidade ao processo de inventos mecânicos, em 1672 surge a Calculadora Universal de Leibnitz que consistia num aprimoramento da máquina de Pascal e realizava Operações de soma, subtração, divisão e raiz quadrada.

Neste mesmo ano de 1672 o alemão Otto Von Guericke inventa uma maquina geradora de cargas elétricas onde uma esfera de enxofre gira constantemente atritando-se em terra seca. Ainda sem utilidade prática e intrigando muitos estudiosos o conhecimento sobre a eletricidade vai avançando. O conceito sobre condutores e isolantes elétricos surge cinqüenta anos depois, por volta de 1722 com o pesquisador Stephen Gray.

Foi em 1801 que a tecnologia sofreu novo salto ainda dentro da mecânica. Surge a primeira máquina programável. O mecânico francês, Joseph Marie Jacquard, criou um dispositivo capaz de seguir instruções através de cartões perfurados. Este equipamento era programado para confeccionar padrões de tecidos complexos.

Na mesma linha de raciocínio da maquina programável o matemático Charles Babbage cria uma máquina somando os conhecimentos adquiridos no decorrer das práticas dos outros inventores e faz em 1822 um dispositivo mecânico baseado em rodas dentadas para avaliação de funções e obtenção de tabelas e em 1833 cria a máquina analítica. Esta máquina conseguia trocar os cartões, modificando dessa forma o curso dos cálculos. Com este invento Babbage é considerado atualmente um dos pais da informática.

Enquanto babbage produzia a máquina analítica, na mesma época por volta de 1831 Michael Faraday, descobre que a variação na intensidade da corrente elétrica que percorre um circuito fechado induz uma corrente em uma bobina próxima. Ele também observou que ao passar um imã sobre uma bobina foi possível gerar corrente elétrica. É através de Faraday que o domínio da corrente elétrica começa surgir.

O primeiro componente eletrônico surgiu em 1839 e de lá para cá lentamente o domínio da eletricidade permitiu o surgimento da eletrônica e o desenvolvimento dos equipamentos eletrônicos.

Em 1842 Augusta Ada Byron (Condessa de Lovelace) conhecida de Babbage apresenta certos conceitos sobre aritmética binária é considerada a primeira programadora da história por seus trabalhos na programação da máquina analítica de Babbage.

E em 1854 George Boole desenvolve a teoria da Álgebra de Boole, dando origem a Teoria dos Circuitos Lógicos, base atual da computação eletrônica digital. Álgebra de boole usa os códigos binários 0 e 1 para a representação dos dados e cálculos matemáticos.

Trinta e sete anos depois de Faraday observar a geração de corrente elétrica pela primeira vez, surge em 1868 o telégrafo. Esta é a primeira tecnologia baseada na corrente elétrica usada pela sociedade. O telégrafo enviava pulsos elétricos através de cabos permitindo a codificação de informações. A tecnologia inicial do telégrafo era muito primitiva e foi sendo aperfeiçoado nos anos seguintes, junto com ele o conhecimento da eletricidade foi ganhando forma.

Iniciado o aperfeiçoamento dos geradores elétricos, surgem as primeiras lâmpadas incandescentes por volta de 1870 através do inventor Thomas Alva Edson. Ele utilizava um filamento constituído de um fio fino de bambu, carbonizado, mas esse tipo de filamento tinha durabilidade muito baixa, estimulando os pesquisadores a desenvolver novos filamentos, baseados em fios metálicos, como o ósmio e o tungstênio.

Aproximadamente seis anos após o primeiro telégrafo surge o tratado sobre eletricidade e magnetismo, de James Clerk Maxwell, em 1873. Este tratado representa um grande avanço no estudo do eletromagnetismo e da eletricidade. A luz passa a ser estendida como onda eletromagnética, uma onde que consiste de campos elétricos e magnéticos perpendiculares à direção de sua propagação.

Em 1875 é instalado um gerador elétrico em Paris com a finalidade de ligar as lâmpadas de arco da estação. Foram fabricadas maquinas a vapor que movimentavam os geradores. Estimulando a invenção de turbinas a vapor e turbina para utilização de energia hidrelétrica surge a primeira hidrelétrica em 1886, instalada junto as cataratas do Niágara.

Foi em 14/02/1876 que Alexander Graham Bell patenteava a invenção do telefone. Este viria substituir o telégrafo, vários anos depois.

Com o desenvolvimento da energia elétrica e dos geradores elétricos o telégrafo ganhou inovações e popularizou-se na sociedade. No ano de 1889 é implantado o sistema de código Morse para os telégrafos. A lógica de funcionamento é semelhante aquela do matemático Boole, uma seqüência de ponto e traço levava na codificação de mensagens. Embora fossem usados pontos e traços o conceito é semelhante ao processo de zeros e uns. Era uma comunicação baseada em código binário.

O Telégrafo foi uma conseqüência do desenvolvimento tecnológico chegando a movimentar sessenta milhões de mensagens apenas em um ano na Grã-Bretanha. Era semelhante ao nosso telefone, porém em código binário.

Em 1883 Thomas Edson patenteou a invenção da válvula para rádio e no ano de 1897 o estudioso J.J. Thomson consolida a explicação sobre a eletricidade com a descoberta do elétron. Estes eventos proporcionaram anos depois a invenção da televisão em 1923 pelo americano C. Francis Jenkins. Ele foi o primeiro a conseguir uma transmissão de imagem por rádio freqüência através do processo denominado na época de radiovisão.

O COMPUTADOR

Somente em 1937 alguns anos depois de inventados o rádio, telefone e a televisão é que o conhecimento mecânico somou forças com o desenvolvimento eletrônico e surgiu o primeiro computador eletromecânico com 117 metros de comprimento, dois de altura, 70 toneladas em relés e engrenagens constituídos de 700.000 peças móveis, com fiação de 800.000 metros.

Foi em 1945 que a tecnologia eletrônica chegou no auge do seu primeiro estágio de evolução e o computador totalmente eletrônico entrou em funcionamento. Com 18.000 válvulas e 1.500 relés. Batizado de ENIAC, este computador funcionou até 1952 e ocupava uma sala de trinta metros por nove de altura.

Em 1952 são construídos os computadores MANIAC I, MANIAC II e o UNIVAC II. Todos aperfeiçoados como uso de válvulas e relés. A primeira fase do desenvolvimento tecnológico vai até 1955 quando surge o primeiro computador transistorizado, marcando o inicio da segunda era de inventos na história da tecnologia eletrônica.

Em 1952 são construídos os computadores MANIAC I, MANIAC II e o UNIVAC II. Todos aperfeiçoados como uso de válvulas e relés. A primeira fase do desenvolvimento tecnológico vai até 1955 quando surge o primeiro computador transistorizado, marcando o inicio da segunda era de inventos na história da tecnologia eletrônica.